domingo, 25 de agosto de 2013

Laços


Então, Laços...

To tentando achar as palavras certas pra comentar essa graphic novel sem cair na mesmice de falar que é fofo e dá vontade de chorar (que é o que todo mundo anda falando). Pois é, é fofo e dá vontade de chorar mesmo. Hahahaha

A primeira coisa que me veio à cabeça quando eu acabei de ler foi “mas poxa, já acabou? Quero mais!” Pra mim, que não lia nada da Mônica há anos (tirando uma revistinha ou outra que eu já achei em salas de espera por aí), ler Laços foi, principalmente, nostálgico. Não sei dizer se fatores específicos da história me fizeram lembrar acontecimentos ou fases da minha vida, ou me fizeram lembrar histórias da Turma da Mônica que eu gostava muito, mas fiquei o tempo todo com aquela sensação de voltar a um lugar que eu não ia há muito tempo.  E foi bom, muito bom!

Sabe aquela sensação de ler algo que mesmo parecendo ser feito para crianças, com personagens crianças e afins, foi feita pra adultos (ou pelo menos engana muito bem nisso hahaha)? Eu tive. Como se cada coisinha na história fosse feita pra alcançar aquela criança que a maioria de nós fica escondendo e sufocando o tempo todo, sabe? Às vezes, a gente precisa deixar ela sair, tomar um ar, se divertir...

E os desenhos? Sim, são fofos, mas me deram uma impressão diferente também: acho que foi a primeira vez que eu vi a turma da Mônica com cara de crianças de verdade, ao invés daqueles traços característicos da revistinha do Maurício de Souza, que são icônicos, muito legais, mas na minha cabeça nunca deixavam de ser desenhos. Não sei se soou confuso, mas o que eu quero dizer é que os desenhos do Vítor Cafaggi me deram uma sensação muito mais realista, como se aqueles meninos procurando o cachorro verde perdido pudessem ser, sei lá, meus vizinhos... Principalmente a Magali comendo churros! Hahahaha (atoron a Magali!)

Os desenhos da Lu já tem outra cara pra mim. Tem mais aquele clima de sonho, de lembrança, de memórias muito emocionantes e profundas, daquelas que fazem acontecimentos aparentemente banais se mostrarem muito, muito significativos. É só pensar em quantos meninos por aí já ficaram doentes e ganharam um cachorro. Vários, mas nenhum com um momento tão bonito quanto aquele do Cebolinha. Ou pelo menos, não que a gente percebesse...  


Concluindo, repito: quero uma série completa de histórias da Turma da Mônica (ou do Cebolinha, depende do ponto de vista) desenhada pelos dois! :)

Nome: Turma da Mônica - Laços
Autores: Vítor e Lu Cafaggi
Editora: Panini
Nota no Skoob: 5/5