segunda-feira, 11 de novembro de 2013

A 5a Onda


Primeiro comentário que me vem à mente para falar de A 5ª Onda: eu não sei se gostei ou desgostei. Tem algo de muito bom e algo de muito ruim nesse livro, e acho que até agora não consegui ter certeza do que é.

O livro fala sobre uma invasão alienígena, mas uma de “verdade”, não aquelas hollywoodianas onde a nave mãe passa por Los Angeles e é derrotada no final por um mocinho corajoso e impetuoso. Cassie, a protagonista, repete o tempo todo na história que “nós entendemos tudo errado”. Não há tempo pra isso. Quando os alienígenas chegarem, nós nem perceberemos.

E, de fato, o início do livro dá essa sensação de não saber o que está acontecendo. Cassie se encontra sozinha na floresta, e seu objetivo é apenas a sobrevivência. Qualquer pessoa pode ser um dos “Outros” (como ela se refere aos aliens) tentando se passar por humano, então não se pode confiar em ninguém. Confiar = morrer. E por estar sozinha, Cassie – e nós, leitores – não sabe muito bem o que fazer, pra onde ir, o que vai acontecer. Não sabe nem se ainda existem outros seres humanos vivos no planeta.

A invasão alienígena que matou sete bilhões de pessoas na história foi feita em 4 ataques, chamados de “ondas”, que vão de um pulso eletromagnético, que deixa a humanidade sem energia, até um vírus que extermina bilhões. Durante a história, nos encontramos a espera do 5º ataque, que ninguém sabe como será – ou se realmente acontecerá.

Achei a história bem desenvolvida, com acontecimentos bem entrelaçados. Mas achei que poderiam ter sido trabalhados de alguma forma mais interessante, não tenho certeza. A história começa focando no futuro da humanidade, mas em vários pontos passa a focar em personagens específicos, e é aí que eu fiquei incomodada. Até entendi a intenção do autor em usar crianças, e ele deu uma bela explicação para isso: crianças são o futuro. Mas não precisava fazer a coisa virar quase um Crepúsculo no meio da história, pra depois deixar de ser, depois voltar, e não se resolver muito bem.

Além disso, se a história começa discutindo o futuro da humanidade, ela termina “resolvendo” a questão da protagonista. Fica algo no ar. Até nem acho que isso seja um problema em si (uma invasão alienígena não se resolve simplesmente destruindo a nave mãe e fim, né?). Mas fiquei com a sensação de que o livro mudou de assunto ou algo assim...  até o ponto em que comecei a pensar se o autor não está planejando uma sequência. Vai saber! No final das contas, acabou sendo um livro muito bem estruturado e escrito, mas com uma "pegada" muito hollywoodiana. Bem o que a protagonista criticava...

Nome: The 5th Wave
Autor: Rick Yancey
Nota no Skoob: 2/5

Nenhum comentário:

Postar um comentário