terça-feira, 3 de dezembro de 2013

Astronauta: Magnetar


Grandes aventuras, grandes descobertas, pioneirismo, reconhecimento, conhecimento adquirido... Isso tudo vale à pena quando o preço é o isolamento extremo?

Acho que desde sempre a humanidade encontra esse embate entre a vida com o outro e realizações “pessoais”. Até onde vale a pena ir, o que vale a pena sacrificar? Pelo que? É uma escolha diferente pra cada um? Acho que sim.

Magnetar mostra não só a escolha do Astronauta, mas o que o levou a fazê-la. As vezes é assim: a gente não dá ouvidos a um monte de coisas, então a vida vai lá e nos obriga a dar um jeito.

Li essa revista depois de Laços (que eu comprei num evento de lançamento, enquanto a Magnetar foi comprada no FIQ), mas ainda assim vi o quanto foi perfeita a escolha dela como a primeira da série de releituras dos personagens de Maurício de Souza. É muito grande o impacto que dá ver personagens que a gente sempre relacionou à nossa infância sendo mostrados com um outro enfoque, mais sério, mais realista, mais maduro. O Astronauta é um desbravador, vive um monte de aventuras, mas é um ser humano. E como tal, também depende de relações sociais, de pessoas, da vivência que tem com elas (não atoa a história começa com uma lembrança dele relacionada ao avô e o porque deste não ter saído pelo mundo explorando coisas).


Quer saber? To ansiosa pelas outras revistas que vem por aí!

Nome: Astronauta - Magnetar
Autor: Danilo Beyruth
Editora: Panini Comics

Nenhum comentário:

Postar um comentário