quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

Pequena Estrela


Um dia desses estava passeando (mais precisamente, indo depositar um cheque de um pagamento que recebi) quando topei sem querer com a loja da Editora Martins Fontes (do lado do banco :S). Pra explicar o tanto que eu precisei entrar e olhar tudo, só preciso dizer a vocês que a vitrine era quase toda do Tolkien. *.*

Enfim, dei uma olhada em tudo e tive vontade de comprar a loja inteira. Ainda que eu não conhecesse muitos livros, as capas me conquistaram (acontece muito isso, sabe?)... Mas consegui me segurar e voltei pra casa só com dois! Hahaha

Um deles foi esse livro de hoje, chamado Pequena Estrela, dos franceses Élisabeth Vangioni-Flam e Michel Cassé, astrofísicos.

Sim, astrofísicos.

O que me fez comprar esse livro, em primeiro lugar, foi a capa, super bonitinha! Toda azul, com um desenho bonitinho de uma estrelinha (as ilustrações são de Laurent Cardon), com algumas estrelas naquele esquema de autorrelevo com algum material transparente, que só é visível dependendo do ângulo que você olha (desculpem, não entendo nada de materiais), além de o livro ser todo ilustrado. O outro motivo é ser estrelas, por que eu tenho “alguma coisa cármica” com estrelas e coisas do espaço. De verdade, é eu ver e querer pra mim.

O livro é a história da estrelinha Star, que acabou de nascer da nuvem Casulo. Star já nasce com uma vontade imensa de conhecer o que mais existe por aí na imensidão, e sai em uma viagem pelo espaço, encontrando os mais variados tipos de estrelas e outros corpos celestes.

Na verdade, trata-se de uma forma que os dois autores, astrofísicos, encontraram para ensinar o assunto para crianças. O livro é cheio de termos científicos, explicações sobre junções de átomos, como estrelas ‘se alimentam’, como elas morrem, como planetas se formam em volta delas, o que são buracos negros, como é o centro da Via Láctea, e por aí vai.

É TANTA informação pra uma história tão pequena que, de certa forma, me decepcionou um pouco. A história é legal e dá muito “pano pra manga”, e as ilustrações deixam o livro ainda mais legal (sério, eu teria todas em quadros espalhados pelo meu quarto ou adesivos e sei lá mais o quê). Só que o livro é escrito com um vocabulário muito complicado para crianças (o público-alvo do livro), e a história é MUITO corrida.

Os capítulos começam com parágrafos de narração e de repente se transformam em diálogos escritos naquele formato de peça de teatro, de um jeito um pouco brusco pra quem tava entrando no clima da prosa. Sei que alguns termos são difíceis mesmo, e a ideia é fazer o leitor conhecê-los (exemplos: Aglomerado Globular, Azoto, Cefeida, Fotosfera, etc), e muitos deles realmente estão num glossário no final do livro, mas existem palavras – não necessariamente científicas – que são complicadas para esse público entender (exemplo: invólucro).

Acabei achando que faltou um pouco de “refinamento”, de poesia pra história ficar mais atrativa e mais bonitinha, mesmo. Pra prender a atenção da criança (ao ler, imaginei que talvez ficasse melhor com alguém lendo em voz alta, colocando entonação nas falas).


Mas acho que esse livro deve ser bem útil pra professores de física passarem pros alunos... :)

Nome: Pequena Estrela
Autores: Élisabeth Vangioni-Flam e Michel Cassé
Ilustrações: Laurent Cardon
Editora: Martins Fontes
Páginas: 98
Nota no Skoob: 3/5

Nenhum comentário:

Postar um comentário