sexta-feira, 2 de maio de 2014

Make Good Art


O que um artista tem que fazer para se destacar? O que ele tem que considerar pra conseguir pagar suas contas trabalhando com arte? Como ele deve lidar com dificuldades na área? Como é que ele responde às críticas? O que ele faz quando a inspiração for ameaçada por problemas pessoais? E quando estiver endividado?

A resposta de Neil Gaiman é só uma: MAKE GOOD ART.

Não importa em que estágio se está na profissão, se a criatividade não vem, se tem muita coisa pra fazer ao mesmo tempo, prazos a cumprir, ou mesmo se não se tem nada disso. A única forma de aprender a fazer arte é fazendo. E pra que os formandos que ouviram seu discurso durante a formatura na University of Arts da Filadélfia entendessem o quanto isso é sério, Gaiman deu exemplos da sua própria vida profissional, desde os perrengues que passou já famoso, até as mentiras que contou quando começou. Contou que houveram problemas, mas também muitas coisas boas, e todas elas são superadas fazendo boa arte.

É tudo o que resta quando se entra nessa área, seja dando ênfase à pintura, escultura, música, fotografia, literatura, ou qualquer outra coisa. Fazendo, pode ser que surjam erros. Uma pequena confusão e troca de letras ao escrever “Caroline” resultou em um livro infantil muito famoso, transformado em animação há algum tempo: Coraline. Ou pode ser que dê certo. Não se saberá nunca até que seja feito.

O discurso é fantástico, e eu já tinha lido/assistido várias vezes até descobrir que ele foi transformado em livro pelo designer Chip Kidd. E digo: nunca vou me cansar de ler e me motivar com ele. Livro de cabeceira pra qualquer pessoa que produza alguma coisa na vida!

Link com o discurso disponível, pra quem se interessar: AQUI

Nome: Make Good Art
Autor: Neil Gaiman (arte: Chip Kidd)
Editora: William Morrow (Harper Collins)
Nota no Skoob: 5/5

Nenhum comentário:

Postar um comentário