quarta-feira, 24 de dezembro de 2014

Revista Trasgo 5


Finalmente acabei de ler alguma coisa! Hahaha

Assim que chegou a 5ª edição da Revista Trasgo, baixei, coloquei no Kobo e comecei a ler. Mas como o fim de ano foi um dos mais movimentados que já tive, acabei lendo de forma meio picada, um conto de cada vez, em cada pausa que eu encontrava. Isso me fez ter menos daquela sensação de conjunto, da revista como uma coisa única. Senti como se estivesse lendo contos avulsos por aí mesmo.

Alguns contos pareceram “curiosos”, outros interessantes, outros surpreendentes, outros com a sensação de “mas hein?”

Curti o conto “O preço da cura”, mas que pra mim ficou com cara de prólogo, deixou a sensação de “cadê? O que aconteceu com a menina?” (assim que é bom, né). Já o “Isso é tudo, Pessoal” me fez pensar em Interstelar (é, o filme do Nolan): duvido que o pessoal das estações era toda a população do mundo, ainda que ela já estivesse reduzida. Então o que aconteceu com quem ficou? Também gostei de “Canção Abissal”, que foi o toque de fantasia inocente do jeito que eu gosto! Hehehe

Gosto dessa junção de contos diferentes que a Trasgo faz. Antes dela eu não costumava ler muitas revistas de literatura, confesso. Comecei a ler porque ela surgiu no exato momento em que eu senti necessidade de saber o que tava sendo feito na literatura de fantasia e ficção científica no Brasil. A gente só costuma ver Harry Potters da vida (e Neil Gaiman), e eu realmente queria saber se existiam escritores se aventurando na área por aqui, e como eles estavam fazendo isso. Encontrei de tudo: ideias legais, estilos legais, ideias legais que poderiam ser melhor trabalhadas, estilos legais que compensavam ideias não tão legais, contos que não curti tanto porque não eram o que eu gosto de ler, contos que eu achei que não ia curtir mas gostei bastante, e por aí vai. Ou seja, TUDO. E isso foi bem legal!

Só pra deixar claro, eu não tenho nada contra ler só autores estrangeiros, ou só autor brasileiro. Nunca me importei em separar ou definir bem as coisas. Minha visão é de ‘mundo globalizado’, leio e gosto do que eu quiser. Mas ver que a coisa também tava ganhando espaço na minha terra foi bem legal porque deu a sensação de proximidade, de fazer parte da minha realidade também. 

A Trasgo está na 5ª edição, pela primeira vez sendo vendida (iniciativa muito legal, porque aí os autores poderão receber pelo próprio trabalho, o que é sempre justo) – as 4º primeiras edições foram gratuitas, pra gente conhecer a revista. Rolou uma promoção interessante, onde quem publicasse sobre as 4 primeiras edições no próprio blog ganharia uma assinatura com as 4 próximas edições, e por isso ganhei essa 5ª edição. Dá pra comprar ela AQUI (também com a opção de assinar várias edições, com um preço bem válido)

Mas o mais legal é que eu também ganhei a chance de dar pra algum interessado essa 5ª edição + uma assinatura anual, sem custos, pra mais gente conhecer a revista. A sugestão foi dar ou fazer sorteio com leitores e tal. Mas como eu sei que meu blog é bastante pessoal, sem muito público definido, vou dar a edição pra quem manifestar interesse! Então vamos lá: se você ficou curioso e quer ler, me fale e seja feliz! hehehe

Nenhum comentário:

Postar um comentário