domingo, 19 de julho de 2015

A verdade é uma caverna nas montanhas negras


Momento “autor preferido” no blog! *sirenes*

Eu tenho um hábito. Ele consiste em entrar em livrarias olhando um livro ou outro, mas procurando disfarçadamente por qualquer coisa onde esteja escrito “Neil Gaiman”. Algumas vezes isso resulta em voltar pra casa com um livro. Sempre prefiro ler as coisas do autor em inglês - pra aproveitar melhor o estilo de escrita dele -, mas às vezes acho alguma coisa nova traduzida por aí e dou uma chance. Antigamente isso era quase impossível, mas acho que as editoras descobriram o cara e agora tem sempre algo novo. Acho isso interessante, porque nessa “guerrinha de editoras” acaba que os livros nunca são padronizados, dá sempre pra se surpreender com uma capa bonita alternativa e por aí vai.

Bom, da última vez eu voltei pra casa com a versão em livro de “A Verdade é uma caverna nas montanhas negras”, conto originalmente publicado em uma antologia, agora editado com ilustrações de Eddie Campbell, muito conhecido pela parceria com Alan Moore.

Tava com saudade de ler Neil Gaiman. :P

Logo no início vemos o aviso de que a história foi inspirada em uma frase de um livro escrito por Otta F. Swire. Óbvio que a tal frase é a que dá o nome ao conto. Talvez eu esteja um pouco “enferrujada” com o estilo do autor, mas ler isso me fez pensar em algum drama familiar ou de relacionamentos com um clima bem realista. Mas eu também já tinha lido a chamada, que dizia que a história se tratava de um pai procurando a verdade sobre o desaparecimento da filha, e isso pode ter me influenciado.

Mas Gaiman é Gaiman, e de repente surgem tesouros amaldiçoados, lendas nórdicas, criaturas que a gente suspeita não serem desse mundo. Claro, ainda com o tal “drama familiar”.

Sei que, no caminho para a verdade (essa expressão pode ter vários sentidos, hein), a gente sempre acaba descobrindo trilhas e aspectos surpreendentes e imprevisíveis. O final pode não ser nada do que a gente espera, mas não deixa de ser importante. Nem de ser um final propriamente dito. Lendo a história, a gente percebe que a verdade é sim uma caverna nas montanhas negras e, uma vez que você se dirige a ela, não importa qual rumo toma, todos os caminhos levam pra lá.

O livro, por ser um conto, é bem curto, dá pra ler numa sentada (como eu fiz). Mas também vale diminuir o ritmo um pouco pra curtir as ilustrações de Campbell, que reforçam a atmosfera quase sobrenatural. Um excelente exemplar da tal “fantasia para adultos”!

Nome: A verdade é uma caverna nas montanhas negras
Autores: Neil Gaiman e Eddie Campbell
Páginas: 80
Editora: Intrínseca

Nenhum comentário:

Postar um comentário