quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

The Sleeper and the Spindle


Confesso que depois de tanto tempo sem atualizar o blog eu perdi até o ânimo de escrever. To me forçando a pegar o ritmo de novo :P

A leitura da vez foi The Sleeper and the Spindle, do Neil Gaiman (traduzido no Brasil como A Bela e a Adormecida). Livro que, desde que foi anunciado pelo autor, eu já incluí na lista de PRECISO AGORA, ME DÁ! Ano passado, sem querer, acabei encontrando uma única edição em inglês com capa dura perdida na Geeks, da Livraria Cultura, e claro que comprei (e ainda ganhei um desconto porque a capa externa, de papel vegetal, tinha uns rasgadinhos).

O livro é ilustrado pelo Chris Riddel, e se for pensar no estilo, dá pra imaginar como é por dentro, né? Bem no estilo dos livros de contos de fadas do século XIX (seguindo a linha Stardust, também do Gaiman). As páginas são lindas, assim como a capa.

Mas não fica por aí. A história é linda!

Quando o livro foi anunciado e começou a chegar nas prateleiras, descreviam assim: uma história onde a Branca de Neve encontra a Bela Adormecida, e onde ela decide seu próprio destino. Imaginei uma releitura dos contos com uma visão feminista. Rá! Como eu fui bobinha... Subestimei justo o Gaiman! - de certa forma, isso foi ótimo, porque eu pude me impressionar e deixar ser surpreendida, e me apaixonar pelo livro a cada página.

Pra começar, nem Branca de Neve nem Bela Adormecida são devidamente identificadas dessa forma. Aliás, nomes são coisas perdidas pelo tempo nessa história. O que identifica, descreve e guia cada elemento é a magia. Magia de que são feitos os anões, e que faz com que a Rainha não caia na maldição do sono que vem de um reino razoavelmente próximo do seu, mas quase inalcançável, já que ela mesma já dormiu por um ano num caixão de cristal antes de ser despertada e assumir o trono.

Talvez por seu passado e por suas memórias - além das expectativas -, ela decide ir para o tal reino acabar com a maldição do sono, que está crescendo e ameaça chegar às suas terras. E lá descobre uma velha sem nome, vivendo sozinha no castelo onde, na mais alta torre, dorme uma jovem muito bela.

E, pra não dar spoilers, só vou dizer que NÃO É NADA DO QUE VOCÊ ESTÁ PENSANDO, que o final é imprevisível, que as aparências enganam, que não existe o "para sempre", pois há sempre escolhas a serem feitas. 

Mas tudo é lindo justamente por isso! :)

Nome: The Sleeper and the Spindle 
Autores: Neil Gaiman e Chris Riddel
Editora: Bloomsbury Childrens (Rocco, no Brasil)

Nenhum comentário:

Postar um comentário